Conecte-se conosco

Rio

MPRJ denuncia médico anestesista Giovanni Quintella pelo crime de estupro de vulnerável

De acordo com a denúncia, crimes em questão foram cometidos contra mulher grávida e com violação do dever inerente à profissão de médico anestesiologista

Publicado

em

giovanni quintella
MPRJ denuncia médico anestesista Giovanni Quintella pelo crime de estupro de vulnerável

A 2ª Promotoria de Justiça Criminal de São João de Meriti denunciou à Justiça, nesta sexta-feira (15/), o médico anestesista Giovanni Quintella Bezerra, pelo crime de estupro de vulnerável, contra uma mulher que havia acabado de dar à luz, no centro cirúrgico do Hospital da Mulher Heloneida Studart, na tarde do último dia 10 de julho. De acordo com a denúncia feita pelo Ministério Público do Rio, os crimes em questão foram cometidos contra mulher grávida e com violação do dever inerente à profissão de médico anestesiologista.

Para preservar e resguardar a imagem da vítima, o MPRJ requereu sigilo no processo, bem como a fixação de indenização em favor da vítima, em valor não inferior a 10 salários mínimos, considerando os prejuízos de ordem moral a ela causados, em decorrência da conduta do denunciado.

De acordo com a denúncia, o crime foi filmado pela equipe de enfermagem que, de posse das gravações, comunicou imediatamente os fatos à chefia do Hospital da Mulher Heloneida Studart, localizado em São João de Meriti, na Baixada Fluminense, que acionou a Polícia Civil.

No local, os policiais realizaram a prisão em flagrante do denunciado e o conduziram à distrital.

O Ministério Público descreve que Giovanni Quintella Bezerra, agindo de forma livre e consciente, com vontade de satisfazer a sua lascívia, praticou atos libidinosos diversos da conjunção carnal com a vítima, parturiente impossibilitada de oferecer resistência em razão da sedação anestésica ministrada. Sustenta ainda que o denunciado abusou da relação de confiança que a vítima mantinha com ele, posto que, se valendo da condição de médico anestesista, aproveitou-se da autoridade/poder que exercia sobre ela, ao aplicar-lhe substância de efeito sedativo.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *